5 razões pelas quais você deve investir em eficiência energética

By Analista Comercial 11 meses agoNo Comments
eficiência energética

Boa parte da energia gerada ainda é desperdiçada no Brasil. De acordo com dados divulgados em maio deste ano pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços de  Conservação de Energia (Abesco), nos últimos três anos foram desperdiçados mais de 140 mil gigawatts-hora (GWh). Para se ter ideia, essa energia seria suficiente para abastecer durante um mês uma cidade de 533 mil habitantes.

Os números chamam atenção quando consideramos o atual momento da nossa sociedade, marcado pela crescente preocupação com sustentabilidade e com a preservação dos recursos naturais. Este cenário não é diferente na construção civil, que tem a eficiência energética como um de seus temas prioritários, principalmente em função do crescimento da demanda por sistemas prediais, cada vez mais complexos.

Estas construções possuem um alto índice de consumo de energia e, consequentemente, elevados custos de funcionamento. Isso sem mencionar o impacto ambiental causado pela emissão de gases de efeito estufa para sua geração.  

Por isso, é fundamental que o uso racional da energia entre de forma prática nos projetos da construção civil, com esforços do setor público, a partir do desenvolvimento de políticas públicas voltadas para a sustentabilidade; e do setor privado, com a criação de projetos que garantam o desempenho energético operacional, além da adequação e reabilitação de edifícios já em uso.

Na construção civil, o investimento em Eficiência Energética vem se tornando uma realidade, contribuindo assim com a criação de empreendimentos mais sustentáveis e amigos do meio ambiente. Sabendo da importância deste tema, reunimos neste post alguns motivos que, com certeza, vão convencê-lo também a investir nesta área.

Veja abaixo 5 motivos para investir em eficiência energética

1. Baixa Emissão de Poluentes

A eficiência energética é uma das principais ferramentas para a construção de um sistema econômico de baixa emissão de poluentes na atmosfera, como monóxido de carbono e dióxido de carbono.

Fora o aumento de custos de energia, o desgaste dos combustíveis fósseis e as altas emissões de CO₂ podem ser revertidas com a eficiência de edificações. Como soluções, identificamos tendências que podem reduzir o consumo de energia ou até mesmo a geração própria de energia para a construção civil. No Brasil, existe a expectativa de que, em longo prazo, sejam criadas políticas que garantam benefícios econômicos a empresas e soluções ecoeficientes.

2. Equilíbrio Energético

De acordo com o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS), o setor de edificações no Brasil é responsável por 48,5% do consumo de energia elétrica nacional. A eficiência energética é um dos principais vetores capazes de trazer o equilíbrio para o setor energético brasileiro.

Em vários sistemas é possível usar tecnologias que buscam investir em eficiência energética: superfícies frias, ventilação, janelas, esquadrias, caixilhos, ar-condicionado, iluminação, aquecimento de água, bombeamento.

Normas como a NBR 15.575 também incluem critérios de desempenho energéticos em residências e são um princípio de incentivo ao equilíbrio energético. Da mesma forma, projetos de retrofit, referentes a requalificação e adaptação de edificações antigas, devem prever melhorias no desempenho energético.

3. Valor da tarifa

Vários motivos implicam no valor da tarifa de energia: a diminuição das médias anuais de chuva no Brasil, o alto desperdício, a participação crescente de termelétricas na distribuição de energia.

Ao investir em eficiência energética, contudo, é possível identificar ganhos econômicos. Isso porque, com ela, é possível reduzir a necessidade de geração elétrica de energia e, assim, garantir contas mais baratas.

Com a aplicação de Sistemas Prediais que garantam a eficiência energética no Brasil será possível reduzir custos e impactos de gestão de energia, reduzindo também a necessidade de novas instalações de transmissão.

4. Retorno do investimento

Quanto mais sistemas de eficiência energética são utilizadas, mais o custo de seus sistemas caem. A disseminação dessa tecnologia alterou muito nos últimos anos o tempo de paypack desses sistemas, referente ao prazo  necessário para recuperar o investimento. Enquanto o tempo para payback já chegou a levar 10 anos, atualmente ele leva por volta de cinco anos ou menos

É importante considerar também o incentivo do governo à eficiência energética. A atual regulamentação normativa da ANEEL possibilita que consumidor gere sua própria energia. Assim, o tradicional medidor de consumo é substituído por um medidor que considera o consumo e a geração de energia. Nesse caso, o cliente passa a pagar o valor referente à compensação entre o quanto de energia foi consumida e gerada.

Projetos que considerem como referências a construção sustentável devem ser estimulados a partir de uma visão estratégica que considere e planeje os cenários futuros de forma multissetorial. Assim, levando em conta não somente gastos da construção, mas também referentes à manutenção e operação das edificações, verifica-se o retorno do investimento em eficiência energética.

5. Menor impacto ambiental

A matéria-prima usada na construção civil tem influência direta nos impactos ambientais causados pelo setor. Por isso, fabricantes e fornecedores de materiais voltados para Eficiência Energética são estimulados a criar, de forma inovadora, soluções que prevejam menos impactos ambientais na construção, assim como um volume menor de perdas e geração de resíduos.

Presente no ISO 21930 e ISO 14025, a Declaração Ambiental de Produto (EPD) informa o desempenho ambiental de produtos da construção civil, exibindo vantagens para toda a cadeia construtiva. Essa declaração deve ser um guia para construtoras e projetistas, de forma a prever quais materiais destinados à eficiência energética são mais benéficos ao meio ambiente.

É importante, então, projetar Sistemas Prediais considerando seus impactos ambientais e escolher materiais que colaborem para a eficiência energética, lembrando que o uso de matérias-primas sustentáveis vem se tornando mais acessível também a pequenas e médias empresas.

Por fim, além do retorno ambiental, é possível garantir o ganho de competitividade da indústria da construção civil.

Invista em eficiência energética já!

A eficiência energética vem sendo destaque em todo o mercado de engenharia e arquitetura, com empresas que acreditam cada vez mais na importância de uma nova cultura sustentável no setor.

Na Projelet ECOM, nos comprometemos com o meio ambiente e desenvolvemos projetos com soluções pautadas na sustentabilidade e otimização dos recursos hídricos e energéticos.

Em longo prazo, é preciso engajar ainda mais pequenas, médias e grandes empresas a investir em eficiência energética e ampliar a construção civil sustentável. Só assim conseguiremos transformar toda a cadeia da construção.

Category:
  

Leave a Reply

Your email address will not be published.

dezesseis − 14 =