Engenharia e Arquitetura: 2 áreas, 1 só objetivo

By Analista Comercial 1 ano agoNo Comments
Compatibilização entre Engenharia e Arquitetura

Engenharia e Arquitetura podem ser trabalhadas conjuntamente? Não é preciso ser especialista para responder que não só podem, como devem. Realizar um projeto que abranja a visão das duas áreas é muito vantajoso, pois traz assertividade, eficiência ao processo, otimização de recursos, além de estar atendendo aos requisitos normativos.

Assim, o ramo da construção civil deve estar muito atento à compatibilização entre a engenharia e arquitetura. O trabalho conjunto é mais assertivo, principalmente se levarmos em conta a plataforma BIM, que já conjuga elementos das diversas áreas a fim de dar uma noção mais precisa para os projetistas em questão, seja ele engenheiro ou arquiteto.

Por esta e outras razões, unir Engenharia e Arquitetura é uma realidade no mercado da construção civil. Quer saber o porquê? Elencamos alguns argumentos a seguir.

Resumidamente, a Engenharia e Arquitetura devem trabalhar no desenvolvimento das mesmas obras na construção civil. Seja na construção de hospitais e shoppings centers ou de edifícios residenciais, ambos os profissionais somam suas competências ao se envolverem na concepção de um projeto.

É essencial a comunicação e o consenso entre os profissionais quando trabalham em um mesmo projeto. Isso porque a engenharia interfere na arquitetura e, da mesma forma, a arquitetura interfere na engenharia.

Assim, embora cada profissional esteja presente em uma parte específica do projeto, ambos precisam atuar juntos para garantir um bom resultado final.

Integração entre Engenharia e Arquitetura: Resultado mais satisfatório   

As etapas iniciais, como concepção do produto, estudo preliminar ou o anteprojeto, são o momento ideal para a entrada da equipe de engenharia. Isso porque devem ser consideradas as exigências da Norma de Desempenho, e suas demandas por análises em variadas fases de um projeto.

O trabalho conjunto entre arquitetura e engenharia também influencia na hora de apresentar um projeto para licenciamento. Isso porque são analisadas questões legais relacionadas à arquitetura para autorizar uma construção. Muitas vezes, não são considerados, nessa hora, as necessidades das instalações de prevenção e combate à incêndio, elétricas, hidráulicas, de automação e demais instalações, assim como demandas estruturais da edificação. E isso pode gerar futuras mudanças desnecessárias e onerosas para o empreendimento.

Por exemplo, sistemas hidráulicos e seus respectivos mecanismos podem impactar no número de vagas no estacionamento de um edifício. Ou, ainda, sistemas de incêndio podem demandar construções de mais escadas, rotas de fuga etc. As instruções técnicas do corpo de bombeiros podem demandar atualizações no projeto de um sistema predial. Por esse motivo, é perigoso que um projeto evolua sem acompanhamento de uma equipe de engenharia, pois podem ser necessárias intervenções que geram retrabalho, perda de tempo e dinheiro.

Com o trabalho em conjunto é possível satisfazer tanto as necessidades técnicas quanto estéticas de um sistema predial. Quando alinhados à estrutura de um projeto, a engenharia e arquitetura se distribuem de forma mais interessante, possibilitando a compatibilização do início ao fim de uma obra. Desta forma, o projeto tem melhor distribuição, execução, prazo de entrega e um ponto muito importante: maior custo-benefício.

Arquiteto e Engenheiro: Como contratar?

É muito comum que arquitetos indiquem escritórios de engenharia de sua confiança. Ao unir o ramo criativo, especialidade do arquiteto no momento em que planeja a obra; com o ramo voltado para a infraestrutura, especialidade do engenheiro; temos um resultado muito mais satisfatório.

Além disso, o resultado do trabalho desenvolvido pelas equipes simultaneamente traz mais segurança e qualidade. Ele evita que se gaste tempo e dinheiro com futuras obras para sanar problemas decorrentes da má construção civil. Assim, do início ao fim da obra, a relação entre a engenharia e arquitetura simplifica a atividade da construção civil.

Ambas as equipes possuem competências diferentes para desenvolvimento de um projeto. Por isso, contratar os dois profissionais não é um custo “fora de hora”, nem algo que pode ser adiado. No fim da obra, a compatibilidade no trabalho de ambos beneficia um ponto importante: o custo da obra.

E então, convencido de que Engenharia e Arquitetura andam lado a lado em prol de sistemas prediais cada dia mais confortáveis e de acordo com as necessidades dos usuários? Tem alguma dúvida? Deixe o seu comentário aí embaixo e nos ajude a ampliar essa discussão!

Category:
  News

Leave a Reply

Your email address will not be published.

2 × dois =