Valorização e reconhecimento colaboradores

novembro 16, 2015
Integrantes da equipe são homenageados durante festividade “O colaborador é a nossa maior riqueza. Por isso, a dedicação é máxima para tê-lo com muito zelo, atenção e respeito e mostrá-lo o quanto é importante para a Projelet”, enfatizou com alegria o diretor, Bruno Marciano, que tem seguido religiosamente um dos principais valores que regem a empresa: a valorização do ser humano. Esse princípio tem passado do papel para a realidade a partir de várias ações realizadas pela Projelet no decorrer dos anos, entre elas, o reconhecimento do colaborador pelo tempo de serviços prestados. Recentemente, Daniel Costa e Jéssica Mariano receberam as devidas congratulações durante a confraternização de final de ano realizada em dezembro. Com a placa de homenagem em mãos e sorriso nos lábios, Jéssica afirma que a Projelet tem sido um dos instrumentos fundamentais no seu crescimento profissional. “Em um ano tão duvidoso como foi 2014, a Projelet se manteve com a mesma dedicação. Identifico-me muito com a filosofia da empresa e com os princípios que ela trabalha. Obrigada por ter acreditado em mim, o conhecimento que possuo é graças a vocês”, declara. Com cinco anos de atuação na Projelet, Daniel relembra os anos de trabalho junto à empresa. “Depois de ter trabalhado em outros lugares, vejo que essa é a melhor empresa na qual estive. Ela me ajudou a crescer na minha área”, elogia. Bruno explica que a cada cinco anos de “casa” o colaborador é homenageado pela empresa com o recebimento de uma placa de agradecimento e o direito a um almoço no restaurante Porcão junto a um acompanhante. “A iniciativa que começou em 2014 já contemplou seis colaboradores, Danielle, Daniel, Diego, Jéssica Mariano, Elen e Marcela. “O nosso próximo alvo é presentear aqueles que completarem 10 anos conosco”, avisa Bruno, com expectativas de que a equipe de hoje esteja com a Projelet pelos próximos anos.”

Alterações na IT-08 requerem atenção de arquitetos

novembro 16, 2015
Inicialmente previstas para vigorarem a partir de fevereiro de 2015, mas ainda sem data prevista, segundo informações do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), novas instruções técnicas (ITs) relativas às saídas de emergência, têm se tornado um assunto bastante discutido entre profissionais da área. Dentre as 38 Its do CBMMG, a IT-08 é considerada a mais importante para arquitetos por impactar diretamente nas formas de se pensar e projetar uma obra. Por esta razão, o completo domínio da legislação é fundamental para os profissionais da área. Com o aprimoramento da IT-08, o CBMMG pretende tornar as edificações no estado mais seguras, tendo rotas de fuga acessíveis e possibilitando a rápida atuação dos bombeiros no combate ao fogo e atendimento às vítimas. A reformulação da IT é fruto de uma ação colaborativa, tendo sido estruturada pelo CBMMG a partir de sugestões enviadas pelos escritórios de projeto do estado. A Projelet contribuiu com algumas sugestões que foram incorporadas à nova IT. As novas regras foram divulgadas em novembro de 2014. Desde então, há a alternativa de aprovar os projetos em andamento na legislação antiga ou formatá-los de acordo com o que preconiza a legislação reformulada. As novas instruções técnicas alteram, dentre outros pontos, a forma de calcular a população dos pavimentos, as distâncias máximas percorridas em caso de necessidade de evacuação, o número de saída dos pavimentos, além de trazer especificações referentes à porta, rampas, escadas, elevadores e saídas de emergência. Embora eventualmente sejam caracterizadas pelo excesso de preciosismo, as ITs visam a segurança. A meu ver, alguns pontos das ITs vão para um extremo, o que faz com que as restrições sejam muitas e consideradas até um exagero. Por outro lado, essas revisões trazem algumas alterações muito bem-vindas, importantíssimas e antes não observadas em pontos cruciais. O que muda? O novo texto da IT-08 apresenta diversas alterações. Foram acrescentados e descartados itens, simplificadas algumas regras e adicionadas ou excluídas determinadas classificações de edificações antes previstas em itens específicos. Gostaria de destacar algumas alterações que considero relevantes como um item que determina diretrizes para edificações existentes e que requerem adaptações. Caso haja deficiência nas saídas de emergência em relação à largura, será aceita a redução da população em até 30% em função das saídas existentes, desde que haja controle de público devidamente regularizado. Para casos específicos estão previstas ainda a determinação de larguras mínimas para saídas de emergência, adaptações quanto ao guarda-corpo e piso antiderrapante em escadas, especificações sobre a declividade de rampas e sinalização complementar como forma de mitigar riscos. A forma de calcular a população de alguns tipos de edificação foi alterada. Podem ser utilizados parâmetros até 50% superiores, desde que não seja ultrapassada a densidade de duas pessoas por metro quadrado. Se antes todas as classificações de edificações, com poucas exceções, deveriam incluir nas áreas de pavimentos para o cálculo de população terraços, sacadas e assemelhados, a partir de agora, apenas locais para diversão e refeição devem incluir tais áreas para a determinação do limite de pessoas

Arrecadação de donativos

novembro 16, 2015
É conhecida e muito utilizada a expressão “a generosidade move o mundo”. É possível que esta seja uma das mais verdadeiras e sábias frases cuja autoria é desconhecida. A Projelet acredita nessa máxima imbuída de positividade. Desde fevereiro de 2013 a empresa realiza campanhas trimestrais de arrecadação de donativos para o auxílio a instituições de caridade de Belo Horizonte. Na campanha deste mês, os locais contemplados serão: pela terceira vez, o Projeto Bom Pastor, que atende crianças em situação de risco; e, pela segunda vez, a Casa do Ancião, na Cidade Ozanam, voltada para idosos carentes. A ideia de arrecadar alimentos não perecíveis, produtos de limpeza e de higiene pessoal surgiu a partir do diretor da empresa Alexandre Souza, envolvido em outras causas de cunho social. Segundo ele, a iniciativa foi levada para o ambiente laboral de forma a aguçar a sensibilidade nos funcionários da Projelet. “Existem muitas pessoas precisando de ajuda. Temos um número razoável de colaboradores. Dessa forma, se cada um fizer e contribuir com pouco, conseguiremos estender a mão a essas instituições que não tem fins lucrativos e que atendem essas crianças e idosos em situação de fragilidade”, entende. Para participar da campanha é muito fácil. Basta levar para a sede da Projelet algum dos donativos listados em uma relação já enviada por e-mail, ou qualquer quantia em dinheiro. Os alimentos e produtos serão entregues nas instituições nos dias 13 e 21 de dezembro, portanto, o prazo máximo para a participação na campanha de dezembro é o dia 19. Dezembro é o mês da reflexão. Momento de avaliar o que deu certo e o que poderia ser melhor na vida individual ou partilhada. Voltamos para nós mesmos e tendemos a encontrar uma humanidade que deveria ser cultivada ao longo de todo o ano. Que neste fim de 2014, você se inspire com generosidade, que nada mais é que a forma mais pura de gratidão. Participe!

Novidades do nosso site

novembro 16, 2015
O site da Projelet foi repaginado e está de cara nova! As melhorias foram feitas para proporcionar a você mais interatividade e informações de qualidade com mais rapidez. Notícias e novidades do mercado da construção civil estarão disponíveis ao internauta em novas áreas de acesso criadas no site. Outro objetivo da Projelet é oferecer ao internauta um visual agradável, que torna a navegação mais leve e interessante. Novo Menu, acervo de imagens de obras e uma área para os clientes também estão entre as mudanças realizadas. Navegue a vontade e fique por dentro de todas as novidades que a Projelet preparou para você!

Economia doméstica de água – entrevista

novembro 16, 2015
A lógica é simples e, ao mesmo tempo, perversa. Quando um produto está em falta no mercado, os locais que os disponibilizam expõem tais itens com preços que levam o consumidor à incredulidade. A lei da oferta e da procura explica muita coisa em nosso cotidiano, repleto de situações que envolvem a troca de produtos e serviços pelo valor monetário referente a cada item. A água, um bem de inestimável valor sem o qual a vida é impossível, não foge à regra. A recente crise no abastecimento hídrico em cidades de São Paulo e do Sul de Minas Gerais ascendeu o alerta vermelho para a possibilidade de racionamento e do consequente aumento do valor da água. Segundo dados do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, da Organização das Nações Unidas (ONU), há 84 anos não se registra no Brasil tão baixo índice pluviométrico como em 2014. Apesar das chuvas de novembro estarem caindo em terrenos sedentos, os reservatórios seguem batendo recordes negativos, com o decréscimo do volume de água. A situação não indica para um horizonte de curto prazo animador. O consumo médio de água por parte do brasileiro está em 200 litros por dia. De acordo com estudos da ONU, o homem gasta mais da metade dessa água no banheiro. Tomar banho, lavar as mãos, escovar os dentes e dar descarga correspondem a 58% do consumo de uma casa. Para se esquivar dos problemas decorrentes do encarecimento da água e contribuir para que o racionamento não seja um fantasma que assuste por muito tempo, medidas simples podem ser tomadas dentro de casa. No dia 12 deste mês, o diretor da Projelet, Weber Carvalho, concedeu entrevista à Rede Super e apontou possibilidades para a economia doméstica. A entrevista aconteceu no condomínio Vile Celestine, edifício construído pela PHV Engenharia e com projetos prediais desenvolvidos pela Projelet. O principal ponto abordado por Carvalho foi as instalações hidráulicas. Ele chamou a atenção para a possibilidade de vazamentos. “Esse é um problema que pode demorar a ser percebido. Dependendo da extensão desse vazamento, pode haver uma infindável perda de água. Surpresa maior vem com a chegada da conta”, alerta. Para se perceber possíveis vazamentos com maior agilidade, Carvalho colocou como alternativa o acesso fácil às instalações hidráulicas. No Vile Celestine, por exemplo, tubulações da rede pluvial, do esgoto, de água quente e fria estão estrategicamente escondidos por portas de MDF nos corredores do edifício. Qualquer problema com o encanamento dos quartos pode ser facilmente detectado e reparado. A válvula de pressão é outro ponto que deve ser observado. Principalmente em edificações cuja altura é uma variável importante. “Os pavimentos mais baixos têm um excesso natural de pressão. Através dessa válvula, nós conseguimos reduzir isso. Essa pressão acaba fazendo com que o gasto seja maior em lavatórios, por exemplo. Quando a água espirra em você, isso acontece em função dessa pressão. É desconfortável e gasta mais água. Então, com esse mecanismo, conseguimos fazer com que o consumo seja adequado e o uso confortável”, explica o diretor

O futuro da construção civil

novembro 16, 2015
Com implantação da tecnologia BIM, Projelet mira o aperfeiçoamento e a praticidade nos projetos Até uma década atrás, estava apenas no campo das ideias uma tecnologia estruturada e específica que otimizasse o trabalho de projetistas de escritórios de engenharia e arquitetura. Os projetos baseados em desenhos ofereciam uma quantidade de informações limitada. Quando necessários, os ajustes correspondiam a desafios homéricos de recálculo e, em determinados casos, à readequação nos vários sistemas que compreendem uma obra. Os anos 2000 inauguraram um novo momento para a construção civil e deram contornos ousados ao futuro. O surgimento da tecnologia BIM (Building Information Modeling ou Modelagem de Informação da Construção) quebrou paradigmas e tornou possível o acúmulo de informações ao longo de todo o ciclo de vida de uma obra. Além de oferecer dados quantitativos atualizados e precisos, a tecnologia articula sistemas, minimizando a possibilidade de erro. Os benefícios para a cadeia da construção civil são incontáveis, é o que defende o presidente da Associação Brasileira de Engenharia de Sistemas Prediais, Regional de Minas Gerais (Abrasip-MG), Breno de Assis Oliveira. “Destaco a confiabilidade das informações contidas em um projeto, a compatibilização constante e a necessidade de comunicação maior entre as partes/disciplinas envolvidas. Há também ganhos para quem desenvolve engenharia e arquitetura, pois os modelos permitem procedimentos mais automáticos no processo de projeto, como a emissão de quantitativos, elaboração de cortes, detalhes e vistas a partir de poucas operações, entre outras vantagens”, detalha. No Brasil, embora muito se discuta o uso da tecnologia, a aplicação da mesma ainda é incipiente. “O consenso existe: a plataforma chegou para ficar. Mas alguns desafios ainda fazem com que a construção civil apresente receio em abraçar de uma vez o processo de modelagem computacional”, aponta Oliveira. Um dos principais pontos que impedem a popularização do sistema é a incompatibilidade entre as normas prediais brasileiras e os processos do sistema BIM. “A despeito da utilização de um ‘padrão mundial’ para intercambialidade entre arquivos BIM, observa-se que esta situação não está totalmente garantida”, pondera Oliveira. Se em termos de Brasil o BIM é um recurso ainda não muito utilizado, o que dizer de Minas Gerais? Segundo o presidente da Abrasip-MG, o mercado estadual sinaliza interesse pela tecnologia, embora as experiências aconteçam de forma isolada, com cada empresa aderindo a metodologias e estratégias próprias de implantação. De olho no futuro e na expansão de mercado, a Projelet iniciou, em agosto de 2013, a inserção da tecnologia BIM em seu escritório. Foram adquiridas duas licenças do programa e computadores mais potentes. Além disso, os colaboradores passam por treinamentos de capacitação interna. “Fazemos reuniões sistemáticas, nas quais explicamos como se dá o funcionamento dessa tecnologia, e acompanhamos a rotina na empresa. Hoje estamos dando prioridade às áreas elétrica e hidrossanitária”, explica o BIM manager da Projelet, Matheus Matos. A empresa Best Software, de São Paulo, responsável pelo treinamento dos colaboradores presta consultoria à Projelet. Sempre que há alguma dúvida, elas são encaminhadas e logo respondidas. A Best Software realiza também visitas à empresa mineira,

Projelet: 12 anos de inovação contínua – integração de sistemas prediais

novembro 16, 2015
Para projetar com inovação, rapidez e precisão, além do know how proporcionado pelo grande volume e diferentes tipos de instalações que projeta, a Projelet investe continuamente na capacitação da equipe, em estudos sobre novas tecnologias e normas técnicas e busca fortalecer a atuação em rede com clientes e empresas do segmento, focando na qualidade dos projetos, sem perder de vista as demais etapas da obra. Equipe qualificada Com cerca de 45 profissionais dedicados a projetar, a empresa aposta alto no aperfeiçoamento da equipe. Com metas de treinamento a cumprir, os próprios funcionários indicam cursos de interesse. “Vou duas vezes ao ano fazer cursos em São Paulo e faço diversos outros aqui em Belo Horizonte. Também é comum participarmos de seminários”, destaca João Borges, que começou na empresa como estagiário e atualmente é projetista pleno, responsável por uma equipe de sete pessoas. Novas tecnologias À qualificação, somam-se programas de acompanhamento, controle de qualidade e discussões de soluções. Membro da comissão interna de pesquisa da plataforma “Building Information Modeling (BIM)”, a projetista Marcela Leite fala com otimismo sobre a adoção do novo programa na elaboração dos projetos. “Estamos na fase de estruturação, criando padrões e definindo como a Projelet apresentará este novo produto para os clientes”, informa, ao destacar que ele possibilita ganhos expressivos em termos de integração das disciplinas de instalações. Além disso, o “software” também permite integrar as equipes que atuam nas diferentes etapas de execução. Ações focadas na qualidade final da obra Comprometida com a execução dos projetos, a Projelet também promove treinamento para as empresas clientes. “A compatibilização dos projetos desde o primeiro traçado, otimiza tempo e custos na execução da obra”, justifica o diretor Weber Carvalho. Pessoalmente, ele ministra o curso que detalha os principais quesitos a serem observados no projeto arquitetônico, a fim de compatibilizá-lo com os sistemas prediais. “Com isso, evita-se retrabalhos nos projetos e na obra, para adaptar a arquitetura às normas a serem seguidas pelas instalações”, destaca Weber. Cerca de 40 profissionais da Dávila Arquitetura participaram do módulo do treinamento, focado na prevenção e combate a incêndios e pânico nas edificações. Satisfeito com o suporte técnico, Alessandro Marques comenta que a equipe gostou muito das informações e da abordagem e está com grande expectativa para o segundo módulo. “Ouvir normas e regras tão importantes de alguém de fora do escritório é sempre muito produtivo”, avalia. Atuação conjunta Para fazer da inovação uma prática contínua, a Projelet também se empenha em atuar conjuntamente com outras empresas do segmento. Associada à Associação Brasileira de Engenharia de Sistemas Prediais Minas Gerais (Abrasip MG), a empresa conta com uma cadeira na vice-presidência da instituição, ocupada pelo diretor Bruno Marciano. “A troca de experiências e informações e a busca por representatividade e contínua capacitação são focos permanentes da Associação”, explica Bruno. Exemplo desse tipo de ação, o XI Seminário de Atualização Tecnológica, realizado pela Abrasip no dia 18 de setembro, no auditório do Crea, marcou o lançamento da Recomendação Técnica sobre a Norma de Desempenho NBR 15.575, que

Atividades agregam qualidade de vida aos funcionários

novembro 16, 2015
Já sentiu uma dorzinha nas costas ou nos braços e mãos depois de passar horas na mesma posição ou em frente ao computador? Quando isso ocorre com muita frequência, esse incômodo pode evoluir para quadros graves de doenças ocupacionais. Entretanto, com alguns cuidados básicos, podem diminuir e até sumirem de vez. Isso é o que garante a terapeuta ocupacional, Amanda Souza, que acompanha a equipe da Projelet há nove meses, na prática de ginástica laboral. Segundo o projetista pleno Diego Moura, desde que iniciaram as sessões semanais de alongamento, há muitos relatos de benefícios entre os colegas. “Uma colega chegou a parar de sentir a mão durante o trabalho, mas já obteve melhora”, conta e completa afirmando que após o início da ginástica, eles estão muito mais dispostos. Além da ginástica laboral, a terapeuta promove desde junho, palestras temáticas para a equipe. Com a aplicação de uma pesquisa prévia, é possível saber o conhecimento e perfil dos funcionários em relação ao tema do mês. Desta forma, a Projelet busca adequar-se ao máximo às expectativas e necessidades da equipe, oferecendo informações que de fato estão no campo de interesse dos funcionários e terão maiores chances de serem aplicadas por eles. O tema escolhido para o próximo mês é alcoolismo, a data e o palestrante ainda serão definidos e divulgados. Como informação é combustível essencial para a mudança de hábitos, já estão garantidas palestras para os próximos sete meses!

Projelet 12 anos e seus projetos

novembro 16, 2015
Criada em 2002, a Projelet Projetos de Sistemas Prediais tem como marca a expertise em projetos que compatibilizam diferentes tipos de instalações. A experiência da empresa em oferecer soluções condizentes com as demandas do mercado da construção civil é comprovada pelo portfólio, construído ao longo de mais de uma década. Abrangência territorial, projetos diversificados e integrados, além de obras de diferentes portes e perfis, compõem o quadro de referências da empresa. “Temos cerca de 800 obras projetadas para mais de sessenta cidades”, contabiliza o diretor Alexandre Souza, ao lembrar que a Projelet possui projetos executados em 13 estados brasileiros e no Distrito Federal. De centros de convenções, a prédios públicos como museus e terminais de passageiros, além de edifícios comerciais e residenciais de alto luxo até os mais populares, as obras com a marca Projelet se assemelham por um aspecto chave: a integração dos sistemas. O desenvolvimento de uma dezena de tipos de instalações: elétricas, de telecomunicações, cabeamento estruturado, sistema de proteção contra descargas atmosféricas, hidrossanitárias, detecção automática de incêndio, prevenção e combate a incêndio e pânico e gás canalizado, dentre outras, requer soluções inovadoras. E a Projelet trabalha continuamente nisso. Tais iniciativas serão tema da próxima edição e também podem ser conhecidas por meio das nossas redes sociais.

Ajustes no plano de cargos

novembro 16, 2015
  Para proporcionar novas perspectivas profissionais e aperfeiçoar ainda mais o alinhamento das atribuições, a Projelet está otimizando o plano de cargos da empresa. A novidade está sendo pensada pelos diretores Bruno Marciano, Alexandre Souza e Weber Carvalho junto aos projetistas plenos desde o mês de junho deste ano. O foco é discutir propostas que se adéquem da melhor forma possível às expectativas de crescimento da empresa e dos funcionários. Um dos pilares nos quais a Projelet se sustenta é a atenção aos funcionários, quesito reconhecido por grande parte da equipe de colaboradores como demonstra a pesquisa de opinião realizada em julho. O projetista pleno, João Manoel Borges, é um dos exemplos de funcionários que se sentem motivados com a mudança. “A Projelet passou por um grande processo de transformação e reformular o plano de cargos nesse momento me parece um processo natural. Estou com boas expectativas em relação às mudanças”, garante. O Diretor de Recursos Humanos, Weber Carvalho, confirma tais alterações ao relembrar que a empresa que neste ano completa 12 anos de existência, começou em um porão de uma casa pequena. Depois passaram para uma sala no Prado onde havia poucos funcionários na equipe. Se naquele período o plano de cargos era bastante simplificado, o crescimento expressivo da Projelet demandou a primeira adequação. “Na época tínhamos 19 pessoas na equipe (16 funcionários e três sócios) e as atribuições eram muito mais simples em comparação à nossa realidade atual”, reconhece. Com o passar dos anos e com o crescimento da equipe vários outros ajustes foram sendo feitos. O Diretor explica o foco da reformulação atual. “A questão principal é tornar mais claras as atribuições de cada uma das categorias profissionais da empresa, de modo a adequar a realidade dos funcionários às demandas de cada cargo”. Entre os benefícios a serem obtidos com o aperfeiçoamento na delimitação das funções estão a abertura de novas perspectivas profissionais e o incentivo e motivação para o crescimento contínuo no trabalho.