Entenda a Norma de desempenho

novembro 28, 2016
Desde que entrou em vigor, em julho de 2013, a chamada Norma de Desempenho de Edificações vem transformando drasticamente os parâmetros de qualidade da indústria da construção civil brasileira. Contemplada dentro da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a Norma de Desempenho faz exigências básicas em relação ao grau de conforto e segurança dos imóveis residenciais em oferta no país. De certa forma, é um avanço, já que é inédito uma norma focar essencialmente nos padrões de qualidade do que é efetivamente entregue ao consumidor, unindo o estado da arte da construção à realidade econômica atual. Neste post, nós elencamos 4 itens que você precisa saber sobre a Norma de Desempenho, principalmente na hora de exigir os seus direitos. Confira: Afinal, como funciona a Norma de Desempenho? As regras abrangidas pela Norma de Desempenho priorizam os benefícios do consumidor, de forma a dividir todas as responsabilidades entre os fabricantes, projetistas, construtores e também os usuários. A NBR 15.575 ressalta os níveis de segurança, conforto e resistência que devem ser proporcionados por cada um dos sistemas que compõem um imóvel, como sua estrutura, vedações, coberturas, pisos e demais instalações. Como é composta e dividida a Norma de Desempenho? A norma é dividida em 6 partes. A primeira indica os requisitos gerais da obra. As demais, abordam os sistemas que fazem parte de uma edificação: Estrutural; Pisos; Cobertura; Vedação; Sistemas hidrossanitários. Para cada um deles, a Norma estabelece critérios objetivos de qualidade e os procedimentos para medir se os sistemas atendem aos requisitos. Como a Norma de Desempenho se diferencia das demais? Antes da Norma de Desempenho entrar em vigor, a ABNT trabalhava apenas com as normas  prescritivas em relação ao universo da construção civil. As normas prescritivas se restringiam a indicar tipo de material e medidas em geral para uma obra. A Norma de Desempenho vai além e determina quais necessidades do usuário o edifício é obrigado a atender, sendo uma norma ao mesmo tempo quantitativa e qualitativa. A Norma de Desempenho tem força de lei? Sim. O Código de Defesa do Consumidor dá às Normas Técnicas da ABNT a força de uma lei, embora não sejam necessariamente uma Lei. Advogados têm usado a Norma em casos em que o consumidor é vítima de prática enganosa. E na maioria das vezes, com sucesso, pois ela possui critérios objetivos para medir as responsabilidades nos mais diversos tipos de problemas. Portanto é bom ficar atento! Mas antes de vê-la como uma possível carta na manga em julgamentos, é preciso destacar os benefícios que a Norma de Desempenho é capaz de trazer para a nossa sociedade, uma vez que estabelece um padrão de qualidade baseado inteiramente na performance e durabilidade dos sistemas que compõem os edifícios. Ou seja, mais segurança e conforto para quem realmente precisa: o usuário. E você, ainda tem dúvidas sobre a Norma de Desempenho? Conte para nós por meio dos comentários!

BIM: conceito e vantagens

novembro 18, 2016
O BIM (Building Information Modeling ou, em português, Modelagem de Informação da Construção) é uma tecnologia que vem ganhando cada vez mais espaço nos campos da Engenharia e Arquitetura. No Brasil, muitos negócios da construção civil têm apostado nessa novidade para ganhar espaço no mercado e conquistar clientes. Mas, na prática, você sabe o que é BIM e para que ele serve? Conhece as vantagens que você garante para a sua obra ao contratar uma empresa que já adotou o sistema? Entenda agora. O que é BIM? O BIM abrange as etapas de uma construção, desde a fase inicial até a entrega. A partir da criação de um modelo digital do projeto e a fim de otimizar processos, o sistema promove um gerenciamento eficiente de todas as informações do ciclo de vida de uma edificação. Para isso, conforme descrição feita pelo Diário do Comércio na matéria que publicamos aqui, a metodologia utiliza projeções de 3D a 6D, que permitem um detalhamento realista do projeto no ambiente virtual através da recriação de objetos característicos a cada etapa da construção. A maquete criada com o BIM tem as proporções exatas do projeto, não apenas espaciais, mas também de tempo e custo, possibilitando um planejamento completo e assertivo. Dessa forma, é possível fazer simulações e cálculos que englobam desde os detalhes construtivos e estruturais, até a quantificação exata de materiais que serão necessários para uma obra. Na prática, o ArchDaily exemplificou como isso funciona: ao criar as paredes no modelo virtual, os materiais que serão necessários para a sua construção já são calculados. Automaticamente, é possível saber a quantidade de tijolos, o volume de reboco e a área de pintura que as paredes consumirão, por exemplo. Paralelamente, o BIM já calcula também qual será o custo disso e adiciona ao orçamento da obra, que vai sendo concebido ao mesmo tempo que o projeto. A tecnologia oferece, ainda, a possibilidade de testar soluções no modelo virtual de uma edificação antes de aplicá-las de fato na estrutura da obra. Isso ajuda os profissionais a garantirem a integridade da construção, bem como a avaliar custos e diversos outros parâmetros. Sendo assim, as construtoras que recorrem à essa tecnologia têm mais segurança para planejar obras e programar suas atividades, bem como para estimar o orçamento e o tempo de conclusão de projetos com exatidão, melhorando a qualidade geral dos processos. Conheça as vantagens do BIM Planejamento eficiente de projetos; Estrutura visualizada em 3D: compreensão clara de projetos arquitetônicos e fácil concepção de todas as fases de uma construção; Cálculo automático e preciso de orçamentos; Simples análise de custo em todas as etapas da obra: quando qualquer detalhe do projeto virtual é modificado, os cálculos quantitativos são refeitos automática e instantaneamente; Análise eficiente de riscos: o BIM é garantia de menos problemas na obra, pois tem a capacidade de antecipar e detectar conflitos; Equalização de materiais, custos e tempo de construção; Mais produtividade no fluxo de trabalho da equipe envolvida: diversos profissionais podem trabalhar sobre um mesmo modelo
Evento News

Projelet ECOM participa do 7º Seminário BIM

novembro 4, 2016
Pioneiro em trazer temas de importância para a melhoria da produtividade do setor, o Comitê de Tecnologia, Qualidade e Meio Ambiente do Sinduscon-SP, o CTQ, promoveu, no dia 26 de setembro, a sétima edição do Seminário Internacional BIM. O evento é conhecido por levar renomados palestrantes nacionais e internacionais, da indústria e da academia, que compartilham suas experiências e conhecimentos sobre BIM com os mais de 400 participantes do Seminário. Bruno Marciano, diretor Comercial da Projelet ECOM, estava presente no evento. Este ano, o tema central foi o Desenvolvimento Integrado de Empreendimentos (IPD) públicos e privados. O IPD é uma estratégia de desenvolvimento de empreendimentos de construção civil que visa a captação máxima da expertise de cada participante do empreendimento e que fomenta a colaboração, desde a fase de concepção, entre os principais participantes. É fortemente baseado no BIM e este, por sua vez, depende de mecanismos como o IPD para aflorar plenamente. Para Marciano, que participa pela 4° vez do encontro, o momento é uma chance de refletir sobre a tecnologia BIM e comparar a realidade aplicada no Brasil e em outros países. “Tive a oportunidade de escutar engenheiros de outros lugares. Vemos um avanço diferenciado nos outros países, pois o governo incentiva a metodologia BIM na construção civil, como o Chile, que possui um plano estrutural dentro do Ministério da Economia”, conta. Apesar das diferenças, Marciano vê positivamente o desenvolvimento da plataforma BIM no Brasil. “Estamos engatinhando, mas o importante é não perder o foco par melhorar os processos. A Projelet ECOM, por exemplo, desde 2013 faz investimentos em treinamento e em ferramentas de trabalho direcionado ao BIM. Isso é muito bom, pois acompanhamos as tendências e somos respeitados por isso”, finaliza.

Autodesk University Brasil

outubro 24, 2016
Considerado o mais importante evento profissional de projetos de design, arquitetura e engenharia do Brasil, a 6ª edição do Autodesk University Brasil levou a seu público discussões sobre as tendências tecnológicas e as melhores práticas nas indústrias de atuação da Autodesk. A Projelet ECOM participou pela terceira vez desse encontro e foi representada pelos diretores Weber Carvalho e Alexandre Souza, além do BIM Manager Matheus Mattos. De acordo com Carvalho, participar de eventos desse nível é muito importante para a atualização dos profissionais da área, uma vez que as formas de projetar e trabalhar estão se modificando rapidamente. Através das palestras, percebemos que a Projelet ECOM está acompanhando bem a evolução da engenharia. “A indústria de projetos está mudando mais rápido do que nunca e as ferramentas inseridas nesse processo são essenciais para transformar a realidade dos negócios. Precisamos nos adequar diante desse mercado competitivo e célere, no qual se destacam empresas que acompanham as tendências e sabem aplicar as tecnologias a seu favor”, diz. Durante o Autodesk University Brasil foram realizadas palestras inéditas, com especialistas das indústrias, fóruns de liderança e empreendedorismo. “Vivemos em tempos mercadológicos vorazes, em que as empresas querem, muitas vezes, reiveintar, para ganhar seus clientes. Num momento de crise política e econômica do país, por exemplo, participar de eventos e congressos importantes, com as novidades de mercado, só tem a acrescentar, além do networking e exploração de novas metodologias de trabalho, ” pontua. Confira os temas das palestras vistas: Coordenação em processo BIM: Aeroporto do México e Edifício Oceanwide; Como projetar uma linha de metrô em BIM; Aykon – Dubai – Breakdown; Quantificação de projetos em BIM para orçamento e gerenciamento de obras; Do Scanner a Laser ao Projeto de Instalações; Dynamo na prática: solucionando o impossível no Autodesk Revit de forma simples; Utilizando o Dynamo na superação de desafios BIM da vida real; Grupo de integração do BIM: desafios de um projeto multidisciplinar; Customização do Autocad, Revit e Civil 3D via programação – casos de sucesso; Utilizando recursos de Nuvem para o auxílio na implantação de BIM em construtoras; Autodesk BIM 360 Field na prática: processos, possibilidades e resultados; Parceria BIM projetos de arquitetura /Instalações MKZ arquitetura/ Martins Projetos; Projeto multidisciplinar colaborativo em BIM – Nova sede do BID/SEMINF em Manaus; Coordenando projetos de instalações entre empresas; Metrô de Salvador – Estações de linha 2, trecho Avenida Paralela.

Projelet ECOM no Minascon 2016

outubro 24, 2016
Considerado o maior evento unificado da cadeia produtiva da construção civil em Minas Gerais, o Minascon, realizado entre os dias 07 e 09 de setembro, apresentou ao mercado o que há de mais inovador no setor da construção civil. Organizado pela FIEMG, o evento reuniu no Expominas, em Belo Horizonte, 15 sindicatos patronais da indústria mineira, profissionais, acadêmicos e especialistas em engenharia, arquitetura, urbanismo e design. Durante os três dias, mais de cinco mil pessoas passaram pelos estandes empresariais, seminários, cursos, palestras e fóruns. A Projelet ECOM participou, no dia 07 de setembro, da palestra de abertura, “Política Habitacional do Governo Federal”, ministrada pela secretária Nacional de Habitação, Maria Henriqueta Arantes. Nos dias 08 e 09 de setembro, Bruno Marciano, diretor comercial da Projelet ECOM, participou do Fórum Mineiro, onde abordaram respectivamente os assuntos “Coordenação de Projetos para o Desempenho” e “Inovação |Tecnológica/Desempenho”. Segundo Marciano, o evento foi uma oportunidade de constatar que a Projelet ECOM trabalha de forma assertiva, já que está bem sintonizada com os assuntos Norma de Desempenho e BIM, temas que são a “bola da vez” para a área. “Podemos considerar o Minascon, em seus 13 anos de história, como um dos melhores eventos de mobilização empresarial em torno dos interesses da cadeia produtiva da construção. A FIEMG, com o apoio dos inúmeros profissionais que formaram o corpo técnico das palestras, trouxe um ambiente propício ao conhecimento e por onde se propagaram a inovação transformada em tecnologia”, conta. Teodomiro Diniz Camargos, presidente da Câmara da Indústria da Construção da FIEMG, enfatiza que a 13ª edição do Minascon, com a programação técnica, cumpriu a missão de trazer o debate dos temas mais inovadores para a cadeia produtiva do setor. “Pudemos conhecer o que está sendo feito hoje com mais tecnologia e valor agregado. Somente assim poderemos produzir com mais qualidade, sustentabilidade e menos custos. É o caminho para a competitividade”, lembra. De acordo com ele, o evento trouxe para o empresariado mineiro uma visada no futuro da construção.

Autódromo de Curvelo – Projeto

outubro 24, 2016
Com uma área de quatro milhões de metros quadrados, a cidade de Curvelo, localizada na região central de Minas Gerais, recebe o mais novo Autódromo do Brasil, o Circuito dos Cristais. O empreendimento foi inaugurado em setembro, e a Projelet ECOM deu sua contribuição por meio dos projetos de instalações elétricas e de telecomunicações para o funcionamento da pista. Magno de Souza, diretor técnico da Projelet ECOM, explica que o Autódromo terá dois tipos utilização. “O espaço será usado pelos sócios para pequenos eventos “Track Days” e grandes competições serão transmitidas ao vivo pelas TV’s e Rádio. O recebimento de energia elétrica será por meio da concessionária Cemig ou pelo uso de grupos de geradores, sendo que a primeira situação tem uma pequena demanda e a outra bem grande”, conta. O projeto inicial foi desenvolvido em julho e agosto de 2016. Hoje, a equipe da Projelet ECOM está trabalhando nos restaurantes, sanitários, áreas de convivência, camarotes e arquibancadas. “É muito gratificante essa experiência de elaborar um projeto de Autódromo, principalmente por se tratar de uma obra que vai receber importantes eventos e tem 4 milhões de m², maior que todos os Alphavilles da Lagoa dos Ingleses”, diz Souza. Para Alfredo Santos, gerente do projeto da Tec Racing, a parceria com a Projelet ECOM foi muito positiva. “A consultoria recebida nos ajudou aliar a expertise dos projetistas envolvidos, qualidade do projeto e custo-benefício. As soluções propostas pela equipe da Projelet ECOM foram e são essenciais para os excelentes resultados que tivemos no autódromo”, frisa. Segundo Santos, além do automobilismo, a base do circuito foi desenvolvida para atender necessidades específicas do motociclismo de alto desempenho. “Foram adotados todos os critérios de segurança para homologação da Federação Internacional de Motociclismo. Fechamos acordos com os principais órgãos do automobilismo para que, em 2016, o Circuito dos Cristais fosse apto a receber grandes eventos para o público mineiro, brasileiro e mesmo internacional. Espero que isso continue nos próximos anos”, finaliza.

Projelet ECOM no Diário do Comércio

outubro 7, 2016
Mineira Projelet ECOM investe em realidade virtual A crise econômica que abateu mais fortemente o setor da construção civil tem forçado as empresas brasileiras do segmento a adotarem estratégias para sobreviver diante de um cenário pouco promissor. Em Belo Horizonte, a Projelet Ecom, que desenvolve projetos para sistemas prediais, vem apostando na tecnologia como forma de driblar as adversidades do mercado e conquistar clientes. Uma das medidas adotadas foi a implementação da plataforma Bulding Information Modelling (Modelagem das Informações da Construção, na tradução para o português). A metodologia, que utiliza projeções de 3D a 6D, permite um detalhamento realista no ambiente virtual por meio da recriação dos objetos característicos de cada etapa do projeto desenvolvido. O investimento na aquisição do software foi da ordem de R$ 300 mil. O conceito BIM prevê a construção em ambiente 3D virtual e não somente a representação das “peças”. “Ao invés, por exemplo, de representar os pontos de luz de um projeto com bolinhas e as tubulações com linhas, utilizamos os próprios objetos. A representação é totalmente realista e elimina qualquer chance de erro no projeto, compatibilizando a realidade com a visualização no ambiente virtual”, detalha o sócio e diretor comercial da empresa, Bruno Marciano. A Projelet Ecom nasceu há pouco mais de um ano, mas acumula 23 anos de história, já que é fruto da fusão entre as empresas Projelet e Ecom Engenharia, que contabilizavam, até então, 12 e 23 anos de mercado, respectivamente. Sediado no bairro Estoril, na região Oeste de Belo Horizonte, o grupo tem atuação nacional e projetos executados para empresas estabelecidas em Manaus, Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia, dentre outros municípios. Segundo Marciano, a fusão das duas companhias significou a junção de esforços e de expertises. “A Ecom era nossa maior concorrente e vimos na junção das empresas a união de forças, de competências e, ainda, uma possibilidade de redução dos custos e do aumento da competitividade no mercado”, afirma o sócio-diretor. Apesar do mau momento pelo qual atravessa o setor da construção civil – nos últimos 12 meses, foram fechados 465 mil postos de trabalho em todo o País -, o empresário aposta no rápido reaquecimento do mercado. Segundo ele, a capital mineira ainda é, dentre as localidades em que a empresa atua, o município com maior grau de importância e projetos realizados. “Entendemos que crise é oportunidade. Realmente sofremos muito com tudo isso, mas estamos utilizando o momento para aprimorar e criar diferenciais. Com isso, conseguimos manter nossos principais projetistas e estamos preparados para quando o mercado voltar a crescer”, reforça. De acordo com Bruno Marciano, o emprego da plataforma BIM pode elevar em até 50% os custos finais dos projetos. Em contrapartida, segundo ele, o recurso não só otimiza as etapas dos trabalhos, como reduz os riscos de erro e de gastos desnecessários. “É a otimização dos processos e a equalização de materiais, gastos e tempo. Além, claro, da visualização perfeita de todo o processo”, detalha. Em sistemas prediais incluem-se instalações elétricas, de

Projelet ECOM no jornal O Tempo

outubro 7, 2016
Giro pelo mercado: Inovações Há pouco mais de um ano, a Projelet ECOM, empresa do ramo de projetos de instalações de sistemas prediais, vem investindo pesado em softwares, capacitação e desenvolvimento de projetos-piloto na plataforma Building Information Modeling (BIM). Desde 2015, a empresa vem passando por uma transformação, que teve início com a união da Projelet e da ECOM Engenharia. A partir de então, os diretores conseguiram integrar todas as disciplinas da área de sistemas prediais. “Aplicamos métodos que melhoram a gestão dos processos internos e externos. O BIM, modelagem da informação da construção, é uma dessas metodologias já utilizadas em diversas partes do mundo e que vem sendo implementada nos setores público e privado no Brasil. Ele visa corrigir os problemas durante a construção, reduzir conflitos e melhorar a qualidade geral nos processos em cada área específica”, destaca o diretor comercial, Bruno Marciano. Segundo ele, se comparados a outros países, os projetos em BIM no Brasil ainda ocorrem de maneira embrionária. “Um dos principais desafios é capacitar os projetistas para o trabalho, e em alguns casos vencer resistências culturais, principalmente daqueles que estão há mais tempo na profissão e que foram obrigados em algum momento da carreira a passar da prancheta para o computador”, justifica.

Investimento em realidade virtual

setembro 26, 2016
A crise econômica que abateu mais fortemente o setor da construção civil tem forçado as empresas brasileiras do segmento a adotarem estratégias para sobreviver diante de um cenário pouco promissor. Em Belo Horizonte, a Projelet Ecom, que desenvolve projetos para sistemas prediais, vem apostando na tecnologia como forma de driblar as adversidades do mercado e conquistar clientes. Uma das medidas adotadas foi a implementação da plataforma Bulding Information Modelling (Modelagem das Informações da Construção, na tradução para o português). A metodologia, que utiliza projeções de 3D a 6D, permite um detalhamento realista no ambiente virtual por meio da recriação dos objetos característicos de cada etapa do projeto desenvolvido. O investimento na aquisição do software foi da ordem de R$ 300 mil. O conceito BIM prevê a construção em ambiente 3D virtual e não somente a representação das “peças”. “Ao invés, por exemplo, de representar os pontos de luz de um projeto com bolinhas e as tubulações com linhas, utilizamos os próprios objetos. A representação é totalmente realista e elimina qualquer chance de erro no projeto, compatibilizando a realidade com a visualização no ambiente virtual”, detalha o sócio e diretor comercial da empresa, Bruno Marciano. A Projelet Ecom nasceu há pouco mais de um ano, mas acumula 23 anos de história, já que é fruto da fusão entre as empresas Projelet e Ecom Engenharia, que contabilizavam, até então, 12 e 23 anos de mercado, respectivamente. Sediado no bairro Estoril, na região Oeste de Belo Horizonte, o grupo tem atuação nacional e projetos executados para empresas estabelecidas em Manaus, Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia, dentre outros municípios. Segundo Marciano, a fusão das duas companhias significou a junção de esforços e de expertises. “A Ecom era nossa maior concorrente e vimos na junção das empresas a união de forças, de competências e, ainda, uma possibilidade de redução dos custos e do aumento da competitividade no mercado”, afirma o sócio-diretor. Apesar do mau momento pelo qual atravessa o setor da construção civil – nos últimos 12 meses, foram fechados 465 mil postos de trabalho em todo o País -, o empresário aposta no rápido reaquecimento do mercado. Segundo ele, a capital mineira ainda é, dentre as localidades em que a empresa atua, o município com maior grau de importância e projetos realizados. “Entendemos que crise é oportunidade. Realmente sofremos muito com tudo isso, mas estamos utilizando o momento para aprimorar e criar diferenciais. Com isso, conseguimos manter nossos principais projetistas e estamos preparados para quando o mercado voltar a crescer”, reforça. De acordo com Bruno Marciano, o emprego da plataforma BIM pode elevar em até 50% os custos finais dos projetos. Em contrapartida, segundo ele, o recurso não só otimiza as etapas dos trabalhos, como reduz os riscos de erro e de gastos desnecessários. “É a otimização dos processos e a equalização de materiais, gastos e tempo. Além, claro, da visualização perfeita de todo o processo”, detalha. Em sistemas prediais incluem-se instalações elétricas, de telecomunicações, fitossanitárias, de prevenção e combate a

Projelet ECOM no Estado de Minas

setembro 14, 2016
União de esforços e expertises Tecnologia Fusão de empresas gera investimento em softwares, capacitação e desenvolvimento de projetos-pilotos visando corrigir problemas durante a construção e reduzir conflitos  Há pouco mais de um ano do início de seu processo de fusão, a Projelet ECOM, empresa do ramo de projetos de instalações de sistemas prediais, já investiu mais de R$ 300 mil em softwares, capacitação e desenvolvimento de projetos-pilotos na plataforma Building Information Modeling (BIM). Desde 2015, a empresa vem passando por uma verdadeira transformação, que teve início com a união da Projelet comada ECOM Engenharia. Segundo o diretor comercial, Bruno Marciano, as mudanças fazem parte de um plano de negócios cujo foco é aumentar o potencial de mercado da empresa. Com a união das duas corporações, os diretores conseguiram, ainda, integrar todas as disciplinas da área de sistemas prediais. “A fusão significou também a junção de esforços e de expertises. Além disso, nossa diretoria está disposta em escopos específicos de atuação,o que nos propiciou uma melhor estrutura organizacional”, afirma. Outro fator que determina o salto em competitividade é o investimento em tecnologia. O Building Information Modelling (BIM), modelagem da informação da construção, é uma dessas metodologias já utilizadas em diversas partes do mundo e que vem sendo implementada nos setores público e privado no Brasil. Ele visa corrigir os problemas durante a construção, reduzir conflitos e melhorar a qualidade geral nos processos em cada área específica. Para o engenheiro Weber Carvalho, o sócio-diretor da empresa Projelet ECOM, as pessoas ainda têm dificuldade de mensurar o significado e a importância do BIM nas fases de elaboração e execução de um projeto. “Ele tem um potencial extraordinário de alinhar uma série de dados produzidos por profissionais de diferentes áreas e que usam ferramentas de informática diversas. A possibilidade de modelagens em 3D continua sendo a característica mais famosa do BIM,mas sua utilização vai muito além de um efeito estético. As informações usadas no projeto ficam para sempre, criando um fluxo de responsabilidades que pode ajudar até em setores como o de seguros ou para pendências jurídicas”, explica o especialista. VALORIZAÇÃO Carvalho prevê um crescimento na busca pelos projetos em plataforma BIM na Projelet ECOM. A empresa conta com alguns contratos para desenvolvimento de projetos nesta plataforma e, mesmo aqueles que não são acordados dessa forma, são elaborados parcialmente em BIM, visando incentivar e valorizar a ferramenta ante o mercado. Ele conta que,no fim de 2013, por exemplo, eles foram contratados para elaborar um projeto no Edifício Diamond Business, no Bairro de Lourdes, em Belo Horizonte. “Inicialmente, ele foi realizado em AutoCAD, mas este ano decidimos modelá-lo, realizando uma construção virtual, semelhante à real. A iniciativa de aplicar o BIM nessa edificação foi porque ela englobava muitas disciplinas desenvolvidas pela Projelet ECOM”, lembra o engenheiro. (Matéria publicada no Estado de Minas em 6 de Setembro de 2016)

Terminal Metropolitano São Benedito

agosto 18, 2016
A equipe da Prolelet ECOM visitou o Terminal Metropolitano São Benedito, em Santa Luzia, Região Metropolitana de Belo Horizonte, que está prestes a ser inaugurado pela Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop). A empresa participou na elaboração dos projetos de Sistemas Prediais do terminal, que possui 52 mil metros quadrados de área. O local vai abrigar quatro plataformas, duas para linhas locais e duas para alimentadoras, permitindo atender a mais de 60 mil pessoas por dia. Recentemente, integrantes da equipe da Projelet ECOM visitaram as instalações antes da inauguração para verificar como foram executados os projetos. Na foto, os colaboradores Alexandre, João e Danielle.    

Aposta no avanço do mercado em BIM

julho 25, 2016
Buscando acompanhar as evoluções tecnológicas para aplicação em seus projetos de sistemas prediais, a Projelet ECOM investe em BIM (Building Information Modeling) e se destaca na concepção e desenvolvimento de projetos nesta plataforma. Para o engenheiro Weber Carvalho, sócio-diretor da Projelet ECOM, a tecnologia promete transformações importantes no mercado da engenharia, especialmente na experiência de interface da equipe de obra com a leitura dos projetos. “Trata-se de uma tendência, que traz inúmeros benefícios, especialmente por proporcionar visualização exata do que está sendo projetado, além de oferecer funcionalidades para a detecção automática de interferências geoespaciais entre objetos.” A empresa, que já conta com contratos para o desenvolvimento de projetos inteiramente modelados em BIM, prevê aumento gradativo do mercado BIM. “Já vimos trabalhando em projetos contratados para desenvolvimento na plataforma BIM. Além disso, mesmo aqueles que não foram contratados nesse molde, são parcialmente elaborados, a título de incentivo e valorização da ferramenta diante do mercado”, diz.  Exemplo disso foi o projeto do edifício Diamond Business, no bairro de Lourdes, para o qual a Projelet foi contratada, no final de 2013. À época, as disciplinas envolvidas foram de prevenção e combate ao incêndio, rede de hidrantes, rede de chuveiros automáticos, instalações hidrossanitárias, instalações elétricas, SPDA e instalações de telecomunicação. Inicialmente, o projeto foi realizado em AutoCAD, mas, em 2016, a empresa decidiu remodelar, realizando uma construção virtual, semelhante a real. “O Diamond Business foi escolhido, pois englobava muitas áreas desenvolvidas pela Projelet ECOM e a arquitetura fornecida pelo nosso cliente, a PHV Engenharia, já estava modelada”, explica o projetista Matheus Matos. Matos lembra que não houve contribuição de terceiros na elaboração do projeto, mas a equipe consultou vários sites, blogs e artigos, que serviram de apoio. “Grande parte dos conceitos e materiais aplicados na modelagem do Diamond Business foram frutos de uma consultoria externa contratada pela Projelet ECOM no início do processo. Tivemos treinamento sobre o Revit e acompanhamos um exemplo de sua implantação, realizada por uma empresa de São Paulo”, recorda. Carvalho conta que depois da capacitação, não foi difícil escolher o software que seria utilizado. ”Dentre as opções disponíveis no mercado, a Projelet ECOM optou pelo Revit, da empresa Autodesk. Apesar do alto investimento na aquisição de licenças, que acaba impactando no negócio, ficamos com a consciência tranquila. Convivemos com uma concorrência desleal, em que os softwares pirateados são a grande maioria no mercado, mas o importante é que a Projelet ECOM faz a sua parte”, enfatiza. Segundo Matos, a metodologia de trabalho no processo de modelagem e a utilização do software no Diamond Business consistiu no recebimento da arquitetura em formato IFC (software Archicad), com sua importação para o arquivo REVIT, a modelagem, a sobreposição das plantas do projeto feito em CAD e, a partir disso, a realização do seu traçado. “Nesse caso em específico, antes da modelagem principal, fizemos testes menores. Dessa forma, quando realizamos o projeto principal, já tínhamos experiência com o software.  É muito interessante, pois é notória a evolução à medida que concluímos cada trabalho”, diz.